fbpx

O Launch 5 conta, durante três meses, com programação completa com conteúdos técnicos, palestras, mentorias, treinamentos, bancas de pitch, momentos de avaliação das startups, entre outros

Não é novidade que muitas ideias de negócios precisam de uma “mãozinha” para saírem do papel, especialmente se tratando de startups. Isso porque muitas não chegam a sair do papel por não terem alguém que invista e acredite nelas. O fato é: todo empreendedor sabe da importância de ter alguém que confie em sua ideia e, mais do que isso, invista nela. Só assim o negócio poderá decolar e cumprir seus objetivos, deixando de ser um esboço de um produto/serviço. Com o intuito de auxiliar empreendedores nessa jornada, surgiu o Launch, o programa de pré-aceleração do Raja Ventures.

Em 2017, o Launch foi criado, fruto do desejo de ajudar pessoas que possuem soluções inovadoras para determinado problema do mercado, bem como alavancar propostas de negócios que contam com grande potencial de crescimento, principalmente no que diz respeito à escala global. O programa parte da premissa de que toda ideia inovadora merece uma chance, sobretudo aquelas que visam utilizar tecnologia para promover resoluções.

O Launch se propõe a ser um programa completo e, por conseguinte, suas rodadas contam com três meses repletos de conteúdos relevantes, como palestras, mentorias, treinamentos, bancas de pitch, momentos de avaliação das startups, entre outros. Ademais, por meio de uma metodologia própria, o programa, ao fim de cada rodada, premia as três melhores equipes, levando em conta seu desempenho dentro dele.

Isso posto, em junho deste ano, iniciou-se a quinta e atual rodada. Intitulada Launch 5, ela é coordenada pela engenheira civil e mestranda em educação tecnológica, Amanda Carvalho. A quinta edição conta com a participação de 34 startups de áreas distintas, de acordo com a tese de investimentos do Raja Ventures. Entre elas, têm-se: construtechs, proptechs, mercado automotivo, agritechs, fintechs e startups que atuam com tecnologias emergentes como BIM, IoT, IA, Blockchain etc.

É importante salientar que o Launch 5 coincidiu com este período conturbado em que vivemos: a pandemia. Dessa maneira, assim como o mercado, o programa de pré-aceleração teve de se adaptar; e assim o fez. O programa, que sempre foi presencial, lançou-se no mundo on-line, o que acabou por trazer grandes oportunidades. “A 5ª edição do Launch está surpreendendo! É a primeira vez que fazemos uma pré-aceleração em formato remoto; e isso tem possibilitado muitas conexões em âmbito global, além de usar e abusar da tecnologia para engajar os empreendedores”, afirma Amanda.

Sobre o Raja Ventures

O projeto nasceu no Raja Valley, um ambiente que visa à inovação. Criado em 2015, é responsável por fazer a aceleração de grandes projetos do programa Launch, a gestão de todo o portfólio – que conta com mais de 60 startups –, bem como os fundos de investimentos diretos e as ventures builders em que o Raja participa. O Raja Ventures se empenha em realizar investimentos na fase inicial (early stage), na fase de ideias de um projeto. Com o intuito de contribuir para que um sonho se transforme em um grande negócio, ele auxilia na construção de projetos que mudarão a vida das pessoas, para que, assim, esses já saiam do papel prontos para transformarem a sociedade e solucionarem problemas existentes no mercado.

Sobre o Raja Valley O Raja Valley – localizado no “Vale do Silício de Belo Horizonte”, na avenida Raja Gabaglia – nasceu em julho de 2016, fruto do grande desejo de seu criador, João Paulo Zica Fialho, de fundar um coworking diferente de tudo aquilo que o mercado já tinha visto. Com isso, o local se tornou um grande centro de inovação, em que as empresas de tecnologia pudessem compartilhar suas ideias e, acima de tudo, criar conexões. Esses elementos fizeram do Raja Valley um grande hub de empreendedorismo, capaz de potencializar o desenvolvimento de novos negócios e novas parcerias, bem como investir em projetos inovadores e com potencial de crescimento.